10 de novembro de 2017



                            QUE FAZER?

Pensamos mais do que agimos. De forma inusitada, agimos muitas vezes mais com nossas vontades momentâneas, sem refletir profundamente. Nos jogamos por assim dizer, nos atiramos de cabeça naquilo que dá vontade. Os outros não nos importa. Assustamos até com nossas atitudes. Isso aconteceu com Genival. Veio de uma região longínqua, não teve muita informação; procurava progredir. Era matuto do agreste. Cabra arretado, bicho macho da mulesta, esses que querem vencer, aprimorar-se com a vida, aprender com ela. Estava aqui na grande cidade a muito tempo. Não conhecia o litoral. Até as praias lhe pareciam um mistério. Na sua terra natal não teve oportunidade  de conhecê-las, embora elas fossem em abundância. Uma amiga o convidou para esse passeio maravilhoso. Era sua chance vital, ver o mar, tocá-lo com seus olhos, seu pensamento. Senti-lo bem de perto, pisar sua areia, provar de sua salinidade. Foi pela primeira vez. A viagem até que durou pouco, foi curta. Logo chegou. Um prédio muito bonito, apesar de sua idade. Bem defronte a praia. Mas o inédito sempre acontece, para todos um dia na vida. Perdeu-se, não lembrava o andar, nem sequer o número do apartamento, estava confuso. O cachorro que o acompanhava ficou amarrado também, como ele se sentia, lá em baixo, só, Genival amarrado em suas dúvidas. Tentou soltar o cachorro para subirem juntos, foi mordido. Primeiro revés. Seu pensamento trancou, parecia não funcionar. Resolveu subir sozinho. Pior... Seu pensamento o traiu. Não lembrava o andar. Acho que era o décimo... Lá foi, tentou descobrir o número do apartamento; erro crasso, a memória o atraiçoou. Assustou a todos naquele andar, até uma senhora de setenta anos, por sinal sua idade.
Aterrorizou, na inocência do seu procurar. Houve muita reclamação até ser resgatado. O velho Genival, esvaindo-se em sangue, os dedos mordidos por um canino, perdido no pátio, pois já havia descido. Quase uma tragédia, se não fosse cômico seu comportamento. Como é que pode vir de tão longe, viver na cidade grande, aprender a trabalhar, ser um cidadão respeitado, cair na armadilha da memória, falso pensamento, justamente no seu mais lindo passeio. A praia, o mar, continuou plácido, singelo, como ele encontrou, sua única experiência, mais esperada, na singeleza do seu ser, seu coração bom, sua alma pura...

Autoria= Gino Marson     02/11/2017   15:13

19 de outubro de 2017





                           PEDIDO

No silêncio
A noite adentro
Ela pensa
Pede a Deus
Que bênção
Ficar com ele
Apenas, tão somente
Pois recebeu
Quase de encomenda
Dos sonhos
Acordada
Quase em prantos
Sentir-se
Amada,
Sempre sua
Enquanto
A bendição
Termina jamais
Não larga...

Autoria= Gino Marson     10/10/2017    23:16

17 de outubro de 2017




                           ESTIMA

Cabelo é um acessório! Estava ainda sob o efeito de um rigoroso tratamento. Ficou completamente careca. A quimioterapia era um sofrimento. As náuseas foram aumentando. Quase não aguentava mais os remédios... O sofrimento físico as vezes, apesar de muito doloroso, é suportável. Aquele na alma, lá no fundo, no recôndito de nós, fica entranhado nos crespos do nosso ser, no pensamento é que ele dói mais, das formas que sintetizamos, das maneiras que interagimos, os outros não tem importância, mas os vemos sempre olhando com coitadismo para nós, sentindo compaixão por aquilo que não sofrem. O tumor, depois detectado com mais pormenores, estava nos ovários. Uma parte importante dela. Aquela que ajuda trazer vida, pressupõe um novo ser, se não estiver doente é claro... 
Apesar de tudo, os pensamentos revirando, ele estava curado sem efeito maligno. Uma aventura e uma vitória, todos viam assim. Ela estava exultante, não chorava mais, o contentamento transparecia-lhe na face, revigorada agora pelas vitaminas e o bom alimentar... Parecia uma criança no dia da primeira comunhão, sorria sozinha, uma abobada andando pela cidade, pela vila onde morava, olhando seus amigos e vizinhos, até chorando; de alegria... Dizia para todos que encontrava: ---Cabelo é um acessório...

Autoria= Gino Marson   13/10/2017    0:05



                            ESCOLHAS

Não navegue com os pés em duas canoas! Uma afundará... A outra não servirá de apoio para um só pé... As águas profundas são traiçoeiras... Elas também tem sentimentos. Podem magoar... Não sustentarão o peso desconfortável do desprezo. Há sempre um limite na profundidade. Não despreze aqueles que amam, sempre, com os dois pés juntos, para serem fortes e firmes eternamente...

Autoria= Gino Marson    17/10/2017   4:23

29 de setembro de 2017





                          DESLUMBRANTE

Quando passeias, viajas, o corpo fica leve, a alma encantada...

Autoria= Gino marson    28/09/2017      16:31

27 de setembro de 2017





                               INFINITA

Quando se for
Um baque surdo
Um ruído suave
O vento
Estremecer
Os pinheiros
Eucaliptos
As flores, todas
Azaleias já floridas
Vão continuar
Sua vida
Os pássaros também
Todos cantando
Comemorando
A vida
Se finda
Deixa outras
Sem pudor
Quando se for
Vai feliz, cantando
A canção querida
A vida fica,
Sempre fica,
Segue seu caminho...

O fim, a morte, é apenas uma transição. Talvez para melhor. Talvez... Quem sabe?..

Autoria= Gino Marson    23/09/2017    14:40

17 de setembro de 2017





                              ETERNO

O mendigo tem
O cão
Sempre
Um pedaço de pão
Duro, empedrado
Como cimento
Do chão, chorado
Embolado
Com pedras
Areia de montão
O cachorro late
Pede água
Chora sua sina
Seu dono triste
Segue a rotina
Puxa a carroça
Entulhada
As sobras
Da sociedade
Penduradas
Parecendo joias
A serem transformadas
O cachorro late
Pedindo água
O lamento segue
Sempre igual
Não muda nada...

Autoria= Gino Marson   17/09/2017    2:10